Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




As nuvens que percorrem majestosamente os céus são formadas por biliões e biliões de minúsculas gotas de água e diminutos cristais de gelo. Contudo, embora uma única nuvem possa conter várias toneladas de humidade, muitas delas desaparecem sem produzir sequer um aguaceiro.

abril-a-acabar-e-a-chuva-a-voltar--9351-3.jpg

À medida que se eleva, o ar quente e húmido acaba por se tornar tão frio que o vapor de água se condensa, criando as miríades de gotículas de água existentes nas nuvens. Congregando-se em torno de fragmentos de pó e outras partículas microscópicas, conhecidas por núcleos de condensação, as gotas são inicialmente tão reduzidas que flutuam literalmente na atmosfera. Como, porém, se deslocam com as correntes de ar, colidem e aderem, formando gradualmente gotas de dimensões crescentes. Com o tempo, podem tornar-se suficientemente pesadas para caírem sob a forma de chuva.

 

Outras gotas de chuva têm uma história mais complexa. Surgem como neve ou cristais de gelo nas camadas superiores frias de uma nuvem, fundem-se em seguida quando atravessam o ar subjacente, mais quente, e caem na Terra sob a forma de chuva.

 

As gotas de chuva de menores dimensões, classificadas como chuvisco, caem tão lentamente que parecem flutuar. As maiores, com cerca de 6 milímetros de diâmetro, caem à velocidade de cerca de 8 metros por segundo.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D