Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A maior parte das provas que apoiam a noção da deriva continental proveio de estudos da Cordilheira Média do Atlântico. Curvando-se para sul a partir da Islândia como uma costura gigantesca, esta cordilheira submarina assinala a fronteira entre placas crustais confinantes, como acontece com cordilheiras semelhantes sob os outros oceanos.

A-formação-dos-continentes-e-das-grandes-estrutu

Estas cordilheiras oceânicas são zonas vulcânicas por excelência. Ao longo delas ascende constantemente material ígneo procedente do interior da Terra, que se solidifica tornando-se parte do fundo oceânico.

 

À medida que novo material ígneo ascende e se une aos bordos das placas crustais de ambos os lados da cordilheira, o fundo oceânico expande-se lentamente para o exterior a partir desta.

 

Com efeito, ao ascenderem ao longo da Cordilheira Média, as rochas mais recentes empurram para o lado as rochas mais antigas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quando as temperaturas do solo são inferiores ao ponto de congelação, até um ligeiro chuvisco decorrente da passagem de uma massa de ar quente pode dar origem a uma das mais catastróficas tempestades de inverno. A chuva, que gela imediatamente aquando do impacte no solo, reveste em pouco tempo toda a paisagem de uma cintilante camada de gelo.

477341989-56a0e4ec5f9b58eba4b4ebc9.jpg

Uma tempestade de gelo pode criar efeitos de uma extraordinária beleza: florestas e parques transformam-se frequentemente em fantásticos reinos de cristal etéreo. Mas pode também implicar resultados catastróficos. As ruas e os passeios transformam-se em lençóis de gelo. Os ramos vergam-se até se partirem, especialmente quando sopram ventos fortes.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D